Invasão de privacidade

Hoje em dia as pessoas estão cada vez mais à vontade (para ser delicada) em bisbilhotar a vida alheia. E sem o menor tato. Você está conversando com alguém que mal conhece sobre amenidades quando de repente, PAH! A pessoa se sente no direito de lhe fazer uma pergunta que você não teria coragem de fazer ao seu melhor amigo de anos, quiçá a alguém que é somente um colega de convivência.

E é assim, à queima roupa, sem a menor cerimônia! Talvez isso seja falta de berço. Minha mãe me ensinou desde pequena a não cometer esse tipo de inconveniência. Mas também acho injusto culpar os pais pela falta de educação, afinal de contas a pessoa cresce e tem oportunidade de aprender o que não aprendeu enquanto pequeno.

Tem gente que se sente encabulada, não quer ser grossa e acaba fornecendo ao seu indagador a resposta à pergunta indiscreta.

Isso foi algo que já me incomodou muito há algum tempo atrás. Eu também não queria ser grossa mas também não queria responder. Não é por nada não, mas é que realmente acho que tem gente que não tem nada haver com certas questões da nossa vida. Hoje em dia me sinto mais à vontade e isso não me incomoda mais. À pergunta não dou importância e simplesmente respondo sorrindo com uma outra pergunta: “por que deseja saber?”.

Simples assim! E não me incomodo, afinal, se a pessoa teve a coragem de perguntar algo que não lhe cabe, merece uma resposta dessa, que venhamos e convenhamos não é mal educada como a pergunta merece.

Share
Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *